segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Inter vence o Cruzeiro, mas não consegue vaga na Libertadores


Time de Argel dependia do resultado de Goiás e São Paulo, que terminou 1 a 0 para os são-paulinos

Foto: Mateus Bruxel

A boa vitória do Inter por 2 a 0 sobre o Cruzeiro serviu para que um Beira-Rio com mais de 34 mil torcedores aplaudisse de pé a entrega da equipe, na última rodada do Brasileirão. Na prática, ela não adiantou para levar o Inter à LIbertadores. Tudo porque o Inter dependia da derrota do São Pualo para o Goiás, no Serra Dourada. Mas o 1 a 0 para os paulistas nos acréscimos acabou com qualquer sonho colorado. Pelos seus erros ao longo do Campeonato Brasileiro, o Inter encerrou a temporada na quinta colocação, obtendo apenas a vaga às oitavas de final da Copa do Brasil de 2016. A tentativa de voltar à Libertadores foi adiada.

Confira como fica a tabela do Brasileirão

A calorenta tarde do Beira-Rio começou em festa e com jeitão de grande conquista. Afinal, o Inter deu início às comemorações pelos 40 anos de seu primeiro título relevante: o Brasileirão de 1975, vencido com o Gol Iluminado de Figueroa, em 14 de dezembro daquele ano. Elias Figueroa, o capitão da icônica equipe, recebeu uma placa das mãos do presidente Vitorio Piffero, em homenagem à conquista que colocou o clube definitivamente no cenário dos gigantes do Brasil. Outros campeões, como Vacaria, Caçapava e Valdomiro também foram celebrados no estádio.

Quinto lugar no Brasileirão deixa Inter com vaga direta nas oitavas da Copa do Brasil

Além disso, Figueroa inaugurou o Memorial dos Feitos Relevantes, autografando um enorme painel, às costas do Centro de Eventos do estádio. Celebrações à parte, dentro de campo, dois times bem diferentes das máquinas de Inter e de Cruzeiro os anos 70 se apresentavam. Em uma arrancada entusiasmada, o Inter se atirou ao ataque logo nos primeiros minutos. Com o apoio incondicional das arquibancadas, a equipe de Argel Fucks tentava o gol logo cedo, a fim de garantir a vitória e contar com a sorte e com a pontaria do Goiás contra o São Paulo, no Serra Dourada. Se o Inter atacava, também deixava generosos espaços para os contra-ataques mineiros. Até os 15 minutos, o Inter já havia perdido um gol, com Lisandro errando em bola após cobrança de escanteio de Alex, enquanto que o Cruzeiro havia desperdiçado duas boas chances de gol em contra-golpes.

Inter faz série de homenagens pelos 40 anos da conquista do Brasileirão

Isso até os 25 minutos, quando Ernando foi à linha de fundo e cruzou. A bola sobrevoou a área do Cruzeiro e encontrou Vitinho, que bateu de primeira, em curva, no canto direito de Rafael. Um golaço - na mesma goleira do Gol Iluminado de Figueroa. E justiça no placar, pois o maior interesse colorado na partida já fazia a equipe de Argel merecer o 1 a 0.

Praticante de highline atravessa o Beira-Rio antes de Inter x Cruzeiro

O primeiro tempo cheogu ao fim com o Inter vencendo por escore mínimo, mas com alguma segurança. O Cruzeiro tratava de se defender e já não demonstrava em campo o mesmo apetite do início de jogo. Os jogadores pareciam contar os minutos para as férias, já que os mineiros não tinham mais grande interesse na tabela de classificação há pelo menos duas rodadas. As atenções das arquibancadas, então, se voltavam todas para Goiânia. Cada vez que o narrador Sérgio Boaz, da Rádio Gaúcha, gritava um lance de ataque do Goiás contra o São Paulo, um sopro de esperança corria pelos corações colorados. Afinal, a Libertadores dependia de derrota são-paulina.

No segundo tempo, o Inter consolidou a vitória logo aos 16 minutos. Douglas Grolli errou e se checou com Mayke. A bola sobrou para Lisandro, que inavdiu a área e entregou o gol para Vitinho: 2 a 0. Em seguida, os torcedores começaram a comemorar feito loucos, como se o Goiás tivesse feito um gol no São Paulo. Não havia feito, mas a intenção era manter acesa a esperança do time em campo.

Vitinho por pouco não fez mais um. Em nova falha de Grolli, a bola sobrou para o camisa 21, que bateu para fora. O jogo do Beira-Rio estava dominado. Mas a trôpega campanha no Brasileirão não permitiu ao Inter comemorar a vaga à Libertadores dependendo apenas de suas forças.

Fonte: *ZHESPORTES

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Inter empata com Fluminense no Maracanã



Fotos: Ricardo Duarte


Atacante Vitinho abriu o placar com belo chute no primeiro tempo

Apesar de sair na frente e jogar com autoridade durante a maior parte da partida, o Inter empatou em 1 a 1 com o Fluminense, neste sábado (28/11), em partida válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Colorado saiu na frente, com belo gol marcado por Vitinho, ainda no primeiro tempo. Porém, o time da casa conseguiu o empate após pênalti extremamente duvidoso marcado na segunda etapa.

No próximo final de semana, a equipe colorada dá sua última cartada na briga para obter uma vaga na próxima Libertadores da América. Em um Beira-Rio certamente lotado, o Internacional recebe o Cruzeiro, pela última rodada da competição. No momento, o time treinado por Argel é o quinto colocado, com 57 pontos, dois a menos que o São Paulo, na quarta posição.

Jogando com autoridade

Mesmo jogado fora de casa, o Inter fez questão de demonstrar, desde o início, quem era o dono do jogo. Porém, antes mesmo de qualquer lance de perigo, o juiz Marielson Alves Silva mostrou um cartão amarelo para cada lado. Um para o lateral Artur, do Inter, e outro para Ayrton, do Fluminense, ambos mataram jogada de contra ataque. Jogando com autoridade, o Inter defendia com vigor e trocava passes com consciência. Foi desta maneira que o placar for aberto, logo aos 4 minutos. Após bola retomada, D'Alessandro encontrou bom passe para Anderson, que conseguiu espaço e entregou a bola para Vitinho. Em grande fase, o camisa 21 ajeitou com carinho e chutou forte, da entrada da área, para estufar as redes de Diego Cavalieri e colocar o Colorado na frente.

O Inter continuava em cima e não dava brechas para o time carioca. A equipe colorada novamente tramou boa jogada aos 16 minutos. Lisandro López tabelou com Vitinho, que devolveu com precisão para o argentino finalizar. O chute de canhota saiu forte, mas explodiu na trave adversária. Pouco depois, Lisandro sentiu lesão e foi substituído por Taiberson. Aos 33 minutos, D'Alessandro pegou rebote e chutou de primeira, mas o goleiro defendeu. Dois minutos depois, William recebeu de Vitinho, cortou o marcador e chutou de canhota, mas a bola passou por cima. Antes do primeiro tempo ser encerrado, Osvaldo foi driblado por Anderson e perdeu a cabeça, puxando a camisa e acertando tapa no meia colorado. O árbitro foi atento e não perdoou, expulsando o atacante tricolor.

Juiz inventa pênalti e Fluminense empata

Na volta do segundo tempo, o Inter diminuiu o ritmo. O time da casa aproveitou e começou a levar perigo à meta colorada. Aos 16 minutos, Marcos Júnior recebeu cruzamento e cabeceou, mas Muriel fez grande defesa. Aos 27 minutos, o juiz inventou um pênalti completamente inexistente a favor do Fluminense. Magno Alves trançou as pernas em Vitinho, que aparecia na marcação, e se jogou de forma constrangedora dentro da área colorada. Não satisfeito, o juiz Marielson Alves Silva ainda mostrou cartão amarelo. Cícero cobrou com tranquilidade e igualou o placar. O centroavante Bruno Baio entrou no lugar de Anderson e levou perigo em algumas jogadas de bola aérea. Apesar das substituições e pressão no final da partida, o Inter não conseguiu passar à frente novamente e o jogo terminou empatado.

FICHA TÉCNICA

Fluminense (1): Diego Cavalieri; Wellington Silva, Nogueira, Marlon e Ayrton (Léo Pelé); Edson, Cícero, Gustavo Scarpa, Marcos Júnior (Lucas Gomes) e Osvaldo; W. Paulista (Magno Alves). Técnico: Eduardo Baptista

Internacional (1): Muriel; William, Paulão, Ernando e Artur; Nicolás Freitas (Bertotto), Rodrigo Dourado, Anderson (Bruno Baio) e D'Alessandro; Lisandro López (Taiberson) e Vitinho. Técnico: Argel

Local: Maracanã, Rio de Janeiro-RJ

Gols: Vitinho, aos 4 minutos do primeiro tempo (I); Cícero, aos 28 minutos do segundo tempo (F).

Arbitragem: Marielson Alves Silva, auxiliado por Alessandro A Rocha de Matos e Elicarlos Franco de Oliveira (trio baiano).

Cartões amarelos: Ayrton e Cícero (F); Artur, Nicolás Freitas, D'Alessandro e Vitinho (I).

Fonte: Site Oficial do INTER

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Com garra, Inter vence Gre-Nal por 1 a 0 no Gigante



Tudo de volta ao normal! O Internacional venceu mais uma vez o Grêmio no Beira-Rio e manteve sua franca hegemonia sobre o rival. Na tarde deste domingo, com um gol de Vitinho, alcançou a vitória de número 154 no clássico e chegou aos 56 pontos na tabela do Brasileirão e encostou no G4. Restando duas rodadas para o final do campeonato, é o quinto colocado, com mesma pontuação do São Paulo, que fecha a zona de classificação à Libertadores no momento. No próximo sábado (28/11), o desafio é no Rio de Janeiro diante do Fluminense.

> Assista aos melhores momentos

Inter toma iniciativa

O Inter mostrou suas intenções desde os primeiros movimentos do clássico, disputando cada lance com muito vigor e pressionando no campo ofensivo. O Grêmio, por sua vez, tentava escapar, sem sucesso, nos contra-ataques. Aos 17min, Vitinho obrigou o goleiro Marcelo Grohe a trabalhar pela primeira vez, em chute de fora da área que foi defendido com dificuldade. Na jogada seguinte, Éverton também arriscou de longe, mas Alisson defendeu com segurança. Aos 23min, após rápida troca de passes, a bola sobrou para Vitinho concluir nas mãos de Grohe.


Zagueiro do Inter na década de 1990, Argel venceu seu primeiro Gre-Nal como treinador

Aos 33min, uma grande chance do Colorado: Vitinho cruzou e Anderson, de frente para o gol, cabeceou sobre o travessão! Aos 38min, Artur disparou uma bomba e Grohe buscou a bola no ângulo esquerdo. O Inter manteve a iniciativa em busca do gol até o final do primeiro tempo, mas o placar não se alterou.

Vitinho abre o placar

Logo no começo do segundo tempo, o Grêmio assustou em cabeceio de Marcelo Oliveira que passou perto do travessão. A resposta colorada veio aos 5min, quando Vitinho fez grande jogada e cruzou na medida para Ernando, que desviou de cabeça com muito perigo - a bola raspou a trave direita.

Aos 7min, o Gigante explodiu de alegria: Rodrigo Dourado fez jogada pessoal na linha de fundo e cruzou rasteiro para Vitinho encher o pé, colocando a bola no canto esquerdo. Foi o 12º gol do atacante com a camisa do Clube do Povo.


Vitinho foi decisivo no último Gre-Nal do ano

O gol fez o Inter crescer ainda mais no jogo. Aos 14min, Lisandro López quase ampliou, em chute da entrada da área que foi defendido por Grohe. Aos 16min, Anderson tabelou com Vitinho e chutou para nova defesa do goleiro tricolor.

Colorado segura resultado

Nos quinze minutos finais, o ritmo do time colorado caiu um pouco e o Grêmio passou a pressionar. Aos 28min, Giuliano recebeu dentro da área e chutou para fora. Aos 30min, Pedro Rocha soltou uma bomba que Alisson defendeu no cantinho esquerdo. Aos 39min, Luan invadiu a área e concluiu para defesa de Alisson. Aos 41min, o goleiro colorado fez nova defesa, desta vez na tentativa de Bobô. Mas o Inter foi valente, se fechou bem e garantiu a importante vitória que foi muito comemorada pelos jogadores junto à torcida.


Torcida comemorou muito ao final do clássico 408


Ficha técnica:

Internacional (1): Alisson; William, Paulão, Ernando e Artur; Nico Freitas (Silva, aos 37min do 2º tempo), Rodrigo Dourado, Anderson (Bertotto, aos 23min do 2º tempo) e D'Alessandro; Vitinho (Alisson Farias, aos 32min do 2º tempo) e Lisandro López. Técnico: Argel.

Grêmio (0): Marcelo Grohe; Rafael Galhardo, Pedro Geromel, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace, Ramiro (Maxi Rodrígues), Giuliano e Douglas (Bobô); Éverton (Pedro Rocha) e Luan. Técnico: Roger Machado.

Gol: Vitinho (I), aos 7min do segundo tempo.

Cartões amarelos: Vitinho, William, Alisson, Silva (I); Galhardo, Luan (G).

Pagantes: 30.692.
Menores: 1.520.
Não pagantes: 1.897.
Público total: 34.109.
Renda: R$ 1.081.230,00.

Arbitragem: Ricardo Marques Ribeiro (MG), auxiliado por Alessandro A Rocha de Matos (BA) e Dibert Pedrosa Moises (RJ).

Local: Beira-Rio.

Fonte: Site Oficial do INTER

Inter perde para a Chapecoense e chega mais pressionado para o Gre-Nal

Ananias marcou o único gol da partida na Arena Condá

Inter perde para a Chapecoense e chega mais pressionado para o Gre-Nal Ricardo Duarte/Divulgação
Foto: Ricardo Duarte / Divulgação


De novo o Inter foi a Chapecó e saiu derrotado. Desta vez, por 1 a 0. Com o resultado, a equipe segue sem conseguir uma aproximação definitiva do G-4 e vê a vaga à Libertadores ainda como uma miragem. Neste domingo, no Beira-Rio, o Inter buscará a reabilitação moral no Gre-Nal, tentando apagar a má imagem deixada no clássico da Arena, quando foi goleado por 5 a 0 pelo Grêmio. Juan, suspenso, será mais um desfalque para o Gre-Nal.

Confira como fica a tabela do Brasileirão

Duas horas antes da partida, a chuvarada que atingiu a cidade de Chapecó também afetou a energia do estádio e, sem poder contar com os refletores, o árbitro Marcelo de Lima Henrique foi obrigado a protelar o começo do jogo. Enquanto isso, as duas torcidas se provocavam. A catarinense fazia a contagem de um a cinco, em referência à goleada da Chapecoense por 5 a 0 sobre o Inter, no Brasileirão do ano passado. Já a gaúcha, gritava "ão, ão, ão, segunda divisão", lembrando o passado recente do rival. Cinquenta minutos depois, com o retorno da luz e com o gramado um pouco menos encharcado, Chapecoense e Inter teve início.

Chapecoense provoca D'Ale após derrota: "Ganhou cartão, chapéu e caneta"


Mesmo com o campo ainda apresentando poças de água, o Inter conseguia tocar a bola e se aproximar da área adversária. D'Alessandro, aos dois minutos teve uma boa chance, mas bateu mal, para fora. Na sequência, Juan saltou mais alto do que a defesa da Chapecoense e cabeceou por cima. A partir dos oito minutos, mais chuva — deixando o gramado em condições ainda mais precárias. A Chapecoense se apresentava com uma única e perigosa jogada até então: Apodi. Pela direita, o lateral encontrava um terreno fértil e livre para avançar. Os melhores lances de ataque catarinense surgiram com ele.

Wianey Carlet: escalar Lisandro foi um erro imperdoável de Argel


Mas o Inter seguia seguro na partida. Paulão quase marcou de cabeça, em cruzamento de Vitinho e, depois, Anderson deixou Vitinho de frente para o gol e o atacante desperdiçou o gol, chutando para fora. Aos poucos, a Chapecoense passava a ter um maior volume de jogo. Camilo, o camisa 10 da equipe, passou a conduzir os donos da casa pelo lado esquerdo do ataque. Ainda assim, a falta de chutes ao gol de Alisson emprestava uma certa paz para os colorados.

Após derrota, Dourado é o único a falar na saída de campo: "Não era o que a gente esperava"


No segundo tempo, o Inter teve duas boas chances de gol logo no início. Na primeira, Ernando bateu de fora da área e Nivaldo defendeu com dificuldades. O lance continuou com a cobrança de escanteio pelo Inter na qual Rodrigo Dourado cabeceou para nova boa defesa do goleiro da Chapecoense. Os donos da casa contra-atacaram com Maranhão, que por pouco não marcou. O jogo da segunda etapa prometia ser bem mais franco do que aquele visto até então.

Aos oito minutos, a Chapecoense teve um gol anulado por impedimento. Apesar da marcação, o lance demonstrou que os donos da casa já começavam a ensaiar uma pressão. Aos 18, porém, o jogo mudou. Após um chutão para o ataque, Paulão correu para dominar a bola. O atacante Túlio de Melo ainda tentava se aproximar, quando recebeu uma pancada digna de futebol americano de Juan. O veterano zagueiro foi expulso.



Com 10 jogadores em campo, o Inter não suportou uma jogada sequer. Levou o gol logo na retomada da partida, após cruzamento de Dener e cabeceio de Ananias (dono de 1m70cm de altura). Estranhamente D'Alessandro, que já tinha cartão amarelo, seguia discutindo com o árbitro, com o técnico Guto Ferreira e com os jogadores da Chapecoense, em vez de acalmar o seu time.



Nem mesmo as mudanças feitas por Argel surtiram efeito. O Inter não conseguia jogar. Assim, 405 dias depois de ser goleado pela Chapecoense, os colorados voltaram a perder no Condá. Agora, resta encarar o Gre-Nal e ainda tentar a vaga à Libertadores nas rodadas finais do Brasileirão.


Fonte: * ZHESPORTES

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

No sufoco, Inter vence a Ponte Preta e mantém sonho de Libertadores

Foto: Fernando Gomes / Agência RBS

Vitinho marcou gol aos 42 minutos do segunto tempo

E Vitinho fez com que o Inter siga vivo na briga pela vaga na Copa Libertadores. Com um gol em um chute de primeira, aos 42 minutos do segundo tempo, o artilheiro do Inter no Brasileirão levou o time de Argel Fucks aos 53 pontos e permitiu que os mais de 20 mil torcedores no Beira-Rio respirassem aliviados na luta pelo G-4.
Leonardo Oliveira: Argel colocou o seu dedo na vitória do Inter

Agora, ao vencer um adversário direto na tabela do Nacional, resta aos colorados secarem o Santos e o São Paulo, que têm a mesma pontuação que o Inter, porém com um jogo a menos _ Santos vai à Arena Joinville para enfrentar o Joinville e o São Paulo encara o Cruzeiro no Mineirão.
Árbitro relata chute de segurança do Inter e fala sobre jogadores da Ponte Preta: "Bastante exaltados"

Um primeiro tempo sofrível foi o que se viu no Beira-Rio. Clayson, Cristian e Biro Biro portavam-se como se estivessem no Moisés Lucarelli, em Campinas. O trio adversário envolvia a defesa do Inter com desenvoltura. Chegavam para encarar Alisson com envolventes trocas de passes sem tomar conhecimento de Dourado, Nilton, Paulão e Juan. Argel chegou a pedir que Ernando e William trocassem de posição pois os buracos junto à lateral levavam perigo ao time colorado.
Argel fala sobre lance polêmico com a Ponte Preta: "Quem deu a autorização foi o árbitro"

O primeiro susto no Beira-Rio ocorreu aos 17 minutos. Clayson ganhou a jogada pela ponta direita e cruzou para Alexandro. Uma dividida impediu que o atacante concluísse, mas o camisa 7 da Ponte aproveitou uma indecisão entre Rodrigo Dourado e Alisson, tocou de cabeça e o placar quase foi aberto. Dois minutos depois, O mesmo Clayson deixou William para trás e bateu rasteiro. Alisson defendeu. O Inter teve seu momento aos 22 e aos 24, com chutes de fora da área de Vitinho e Valdívia.
Diogo Olivier: o gol do Inter não nasceu do polêmico fair play

Como o Inter jogava em contra-golpes e era envolvido pela Ponte, uma sonora vaia tomou conta do Beira-Rio aos 43 minutos. Nem mesmo quando Vitinho, de fora da área, e Valdívia, de primeira, completando cruzamento da direita, em jogas de perigo, com 45 minutos, fizeram com que a arquibancada diminuísse as cobranças.

— Estamos mal no jogo. Mal com a bola, mal sem. Tivemos sorte que não tomamos o gol — resumiu Alisson, único que falou à imprensa no intervalo.
"A torcida estava impaciente, mas mantivemos a calma para vencer", diz Vitinho

Argel apostou em Anderson para modificar a partida na etapa final. No início, até que deu certo. O Inter acertou meia dúzia de troca de passes e deixou os 10mh/h do velocímetro. Marcelo Lomba, contudo, sequer foi testado. A Ponte fechou sua entrada da área com uma linha defensiva que tinha, por vezes, até seis jogadores. Vitinho sumiu da partida. Lisandro López, mais uma vez, foi inoperante como referência. Os laterais, preocupados com as investidas paulistas pelos lados do campo, pouco subiam ao ataque.
Bate-boca e troca de empurrões marcam final da partida entre Inter e Ponte Preta

D'Alessandro e Valdívia eram os lampejos de qualidade à frente. O argentino, aos 38 minutos, cruzou uma bola açucarada para Paulão quase marcar. Aos 42, Vitinho, após a bola rodar na área da Ponte Preta, chutou forte e sacramentou o placar em Porto Alegre.

Os jogadores da Ponte Preta reclamaram da falta de fair play do Inter no lance do gol. Alexandro teria colocado a bola para a lateral a fim de Biro Biro receber atendimento. O Inter, por ordem de Argel, não devolveu a gentileza. Biro Biro, revoltado, partiu para cima do técnico colorado. A confusão seguiu ao final do jogo, no corredor que leva os times aos vestiários.
Cotação ZH: Vitinho é o melhor do Inter na vitória sobre a Ponte Preta

Acompanhe o Inter no Colorado ZH. Baixe o aplicativo:
IOS
Android

Fonte: *ZHESPORTES

terça-feira, 3 de novembro de 2015

De virada, Inter perde para o Goiás e se afasta da briga pelo G-4


Valdívia abriu o placar, mas Zé Love e Bruno Henrique garantiram a vitória para o time da casa

Foto: Carlos Costa / Lancepress!

Uma derrota de virada para o Goiás, que luta contra o rebaixamento, arrefeceu as esperanças de o Inter chegar de vez na briga pela vaga à Libertadores. O 2 a 1 no Serra Dourada – com os gols marcados em apenas três minutos – mostrou um Inter desatento e com falhas na defesa, permitindo que o Goiás desse fim a sua série de cinco derrotas. O Inter ocupa a sexta colocação no Campeonato Brasileiro, com 50 pontos, três atrás de Santos, o quarto colocado, e de São Paulo, o quinto.

Confira como ficou a tabela do Brasileirão

No sábado, o Inter receberá a Ponte Preta, no Beira-Rio. Réver, suspenso, está fora, mas Vitinho estará de volta. Na sequência, a equipe enfrentará Chapecoense (fora de casa), Grêmio (em casa), Fluminense (fora) e Cruzeiro (casa).

Luiz Zini Pires: superapagão de três minutos leva três pontos do Inter em Goiás

No amplo gramado do Serra Dourada, o Inter procurou as pontas para criar as suas principais jogadas. Aliás, os lances pelos lados do campo têm sido uma exigência de Argel Fucks. Pois a primeira grande chance do Inter na partida foi com William correndo para a linha de fundo, cruzando para trás e com Lisandro López batendo no cantinho esquerdo, mas encontrando a mão salvadora de Renan. O goleiro campeão da Libertadores com o Inter em 2010 passou a ser uma das figuras do jogo, já no primeiro tempo.

Após derrota, direção do Inter diz que ainda acredita em Libertadores: "Temos chance"

Mas mesmo a atuação segura de Renan não impediu o Inter de sair na frente. Após uma rebatida ruim da zaga do Goiás, para a frente da área, Valdívia surgiu correndo, olhando para a direita e chutando para a esquerda, no ângulo. Um golaço.

Rumando para a sexta derrota em série, o Goiás se desestabilizou com o 1 a 0 do Inter e passou a acelerar as suas jogadas de ataque. Em uma das raras tabelas goianas, Paulão chegou dividindo com Zé Love dentro da área e evitando a conclusão. Mesmo nos momentos em que os donos da casa conseguiam ter maior posse de bola, o Inter se fechava na defesa, marcando com 10 jogadores e impedindo os avanços do Goiás.

Argel destaca desatenção na derrota para o Goiás: "Inter não pode tomar dois gols em seis minutos"


Ao final do primeiro tempo, alguns sustos. O Inter passou a ceder terreno para o ataque do Goiás. Com uma sequência de erros no meio-campo, permitiu pelos menos dois perigosas investidas do adversário. Aos 41, Bruno Henrique venceu Réver e, de cabeça, quase marcou. Depois, Réver derrubou Bruno Henrique na entrada da área – mas Fred cobrou mal a falta. Aos 46, Arthur entrou às costas da defesa, encobriu Alisson, mas Paulão surgiu e correu para evitar que a bola entrasse.

– Começamos muito bem, fizemos o gol e dominamos o primeiro tempo. Só agora, no final, é que dormimos um pouco. Mas vamos voltar ligados para obter essa vitória importante – disse Paulão, no intervalo.

Jogadores veem Inter superior ao Goiás, mas lamentam: "Demos bobeira"

Mas o segundo tempo começou com um gol do Goiás, logo aos dois minutos. Uma bola atirada do meio-campo para a entrada do Inter encontrou Zé Love em meio à zaga. Ficou cara a cara com Alisson e só desviou para o gol, empatando a partida.

O Inter recebeu um choque e tentou reagir. Lisandro cruzou quase na pequena área e Anderson tropeçou na hora de concluir, facilitando a vida de Renan. O Goiás voltou ao ataque e virou o jogo. Réver falhou ao cortar um cruzamento e ofereceu a bola para Bruno Henrique marcar.

Cotação ZH: Réver é o pior na derrota para o Goiás

Aos 13 minutos, Argel trocou Réver pelo lateral-esquerdo Artur, deslocando Ernando para a zaga. Aos 17, saiu Alex e entrou D'Alessandro. O Inter entrava em modo de urgência no jogo. Mesmo com as alterações, o quadro do jogo não se alterou. Enquanto o Inter tentava marcar, e via Anderson perder gols na frente de Renan, qualquer avanço do Goiás provocava pânico na defesa colorada. Aos 28, Sasha foi a campo no lugar de Nilton.

Aos 34 minutos, Sasha invadiu a área, caiu e pediu pênalti. O árbitro nada marcou.

O Inter parecia curado do mal de perder pontos para os times do Z-4. O jogo do Serra Dourada, porém, mostrou o contrário.

Acompanhe o Inter através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:


IOS

Android


Fonte: *ZHESPORTES

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Com gol de Vitinho, Inter vence o Joinville no Beira-Rio

Time de Argel, que foi comandado por Galego neste sábado, dorme na quinta posição com os mesmos 50 pontos do Santos

Foto: Félix Zucco

O sonho colorado de estar na Copa Libertadores de 2016 ainda é real. Ainda mais após a vitória por 1 a 0, gol de Vitinho, no Beira-Rio, na noite fria de sábado, em Porto Alegre. O confronto não foi um primor de futebol, mas os três pontos e os resultados paralelos da rodada deixam o Inter esperançoso para a sequência do Brasileirão.

Confira como está a tabela do Brasileirão

Se a pretensão do Inter nesta reta final do Brasileirão é uma vaga no G-4, a postura colorada não poderia ser diferente. Sem pensar em outro resultado que não a vitória, ainda mais em casa, o time do interino Galego se impôs na partida desde o minuto inicial. Poderia ter um pênalti a seu favor - em falta dentro da área em Valdívia, não marcada por Dewson Fernando Freitas da Silva -, mas, ainda assim, teve uma atuação segura e com muita posse de bola, não tomou conhecimento do fraco e candidato ao rebaixamento Joinville. Alex e Valdívia posicionados à esquerda e Anderson e William pela direita envolviam a defesa catarinense. Vitinho era o movediço, aquele que, de um lado a outro, fazia as vezes de curinga nas triangulações de ataque. O Inter não contava com Lisandro López, que sofreu uma lesão na panturrilha.

Inter x Joinville: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

Em duas oportunidades, aos sete e aos 10 minutos, Alex assustou o ex-goleiro colorado Agenor. Nilton antecipou-se em uma saída de bola do Joinville, perto dos 20 minutos, e chutou para a bola explodir no adversário. Com 32, foi a vez de Vitinho testar o arqueiro adversário. Agenor pegou firme. Ao final do primeiro tempo, Anderson chutou colocado e a zaga tirou em cima da linha. Veio de Juan, que quase acertou uma cabeçada ao vencer Agenor pelo alto, a melhor definição da primeira etapa na saída para o vestiário:

– Tivemos boas chances, mas jogo é difícil, sempre jogos fechados. Vamos conversar, para voltar no segundo tempo e tentar fazer os gols.

Dourado sente dores no ombro esquerdo e fará exame na segunda-feira

O segundo tempo nem havia começado e a torcida no Beira-Rio soltou um grito como se um gol tivesse ocorrido. D'Alessandro entrava no jogo, na vaga de Alex, e enchia o torcedor de esperanças quanto à vitória. O argentino ainda sente os mais de 40 dias longe dos gramados, e, sabedor disso, Galego o escalou centralizado na linha de três meias, com Valdívia na esquerda e Anderson na direita. Se na etapa inicial o Inter levou perigo pelas pontas, as iniciativas coloradas na segunda etapa passaram a ser junto à intermediária. Acontece que, desta forma, o Inter ficou lento. E o Joinville aproveitou a morosidade gaúcha para assustar Alisson. Os catarinense queriam não apenas a primeira vitória fora de casa no Brasileirão como enfileirar a terceira vitoria consecutiva na competição nacional.

Vitinho diz que quer ficar no Inter em 2016

Aos 15 minutos. Anselmo recebeu um belo toque de calcanhar de Marcelinho Paraíba e bateu cruzado. Alisson tocou na bola, impediu que o placar fosse aberto no Beira-Rio e soltou uma série de xingamentos à defesa, que deixou o rival chegar com tanta facilidade.

Treinador interino do Inter elogia time e agradece oportunidade: "Momento ímpar da minha vida"

A chacoalhada do goleiro colorado surtiu efeito. Quatro minutos depois, D'Alessandro acabou com os teóricos contrários ao escanteio curto. Na direita, William deixou para o camisa 10 fazer um cruzamento "com a mão" para a cabeça de Vitinho. O gol acordou o Beira-Rio e deu tranquilidade para o Inter voltar a trabalhar a bola. Ainda mais que, aos 26 minutos, Eduardo Sasha foi a campo. Recuperado de uma cirurgia no pé direito, o camisa 9 tem um caráter tático fundamental neste time do Inter. Segura a bola e consolida a troca de passes no ataque colorado. E conseguiu ser, em poucos minutos em campo, mais perigoso que o lento e enfadonho Anderson.

Jogadores do Inter exaltam a proximidade do G-4 com a vitória sobre o Joinville

Após a vitória no Beira-Rio, os colorados chegaram aos 50 pontos e têm de secar os rivais Santos - que empatou com o Figueirense - e Palmeiras - que enfrentava o Sport às 21h deste sábado - e seguem em busca da tão sonhada vaga no G-4. Verdade seja dita: ela nunca esteve tão perto neste Brasileirão.

Vice de futebol do Inter elogia vitória e comemora retornos de D'Ale e Sasha: "Problema bom"

Fonte: *ZHESPORTES

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Inter vence Flamengo e segue no encalço do G4




Com uma atuação consistente diante de um adversário direto na tabela, o Internacional venceu o Flamengo por 1 a 0 na tarde deste domingo, no Rio de Janeiro. Ernando marcou o gol que deixa o time colorado na sétima posição, com 47 pontos, a dois de distância do G4, restando ainda sete rodadas no Brasileirão. Um jejum de nove anos sem vitória no Maracanã também foi quebrado.

O próximo jogo é sábado (24/10), às 18h30, diante do Joinville, no Beira-Rio. Se o Inter vencer, poderá ingressar na zona de classificação à Libertadores de 2016.

No seu centésimo jogo, Ernando faz 1 a 0

O duelo na capital carioca começou bastante movimentado, com a disputa pela bola concentrada no meio-campo. Aos poucos, o Flamengo passou a pressionar, principalmente com avanços pelas laterais, mas sem conseguir finalizar com qualidade.

Na sua primeira subida ao ataque, o Inter abriu o placar. Aos 17min, Valdívia arrancou pelo meio e acionou William: o lateral cruzou da direita, Lisandro López não alcançou de cabeça, mas Ernando apareceu como elemento surpresa na área para chutar cruzado e colocar a bola no cantinho esquerdo. Belo gol, o quarto gol do zagueiro/lateral na temporada e o quinto nesta que foi sua centésima partida com a camisa colorada.

Aos 28min, um susto. Guerrero recebeu passe na entrada da área e disparou uma bomba que explodiu no travessão. Aos 30min, o atacante peruano tentou novamente, desta vez de cabeça, mas Alisson defendeu com segurança.

O Inter manteve uma postura equilibrada no Maracanã. Conseguiu se defender com eficiência e não abriu mão de atacar quando tinha a posse de bola.

Inter garante importante resultado

No segundo tempo, o Flamengo veio com tudo na busca pelo empate. Aos 6min, Guerrero fez o giro e chutou com perigo, da meia-lua – a bola raspou o poste esquerdo antes de sair pela linha de fundo. Aos 10min, foi a vez de Alan Patrick, de dentro da área, concluir muito perto da trave. Logo depois, D'Alessandro, recuperado da lesão que o afastou dos gramados nas últimas semanas, entrou no jogo na vaga de Alex.

Bem posicionado e disputando cada lance com garra, o time de Argel conseguiu conter o ímpeto dos donos da casa e tentou escapar nos contra-ataques. Aos 17min, Nilton disparou uma pancada de longe que passou perto do travessão. Aos 31min, dois lances contundentes, um para cada lado. Primeiro foi o Flamengo, com Guerrero, chutando para a grande defesa de Alisson; no contra-golpe, Lisandro López bateu colocado da meia-lua e quase acertou o canto esquerdo do goleiro Paulo Victor. Aos 35min, Jorge cabeceou à direita, com grande perigo.

Nos minutos finais, o Flamengo tentou sua última cartada, mas não conseguiu evitar a derrota para o Inter que não ocorria no Maracanã desde 2006.

Ficha técnica:

Flamengo (0): Paulo Victor, Pará, César Martins, Samir e Jorge; Márcio Araújo, Canteros (Kayke), Alan Patrick e Everton (Paulinho); Sheik (Gabriel) e Guerrero. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Internacional (1): Alisson; William, Paulão, Réver e Ernando; Rodrigo Dourado, Nilton (Wellington, aos 32min do 2º tempo), Anderson (Vitinho, aos 28min do 2º tempo) e Alex (D'Alessandro, aos 12min do 2º tempo); Valdívia e Lisandro López. Técnico: Argel.

Reservas: Muriel, D'Alessandro, Rafael Moura, Vitinho, Alan Costa, Alisson Farias, Taiberson, Bertotto, Wellington e Zé Mário.

Gol: Ernando (I), aos 17min do primeiro tempo.

Cartões amarelos: Paulão, Réver (I);

Arbitragem: Heber Roberto Lopes (SC), auxiliado por Kleber Lucio Gil (SC) e Bruno Boschilia (PR).

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro.

Fonte: Site Oficial do INTER.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

APÓS VENCER O SPORT NO BEIRA-RIO, INTER FOI MUITO MAL EM BELO HORIZONTE E A DERROTA FOI MERECIDA

Mais uma vez, o Inter não merecia vencer.

Eu vi o jogo pela TV e o comentarista até falava que aquela postura defensiva não era condizente com a grandeza do Inter.

De fato, concordo. Um time do tamanho que é, com os jogadores que tem, não pode jogar só na defesa.

Só que foi isso que aconteceu novamente em Minas Gerais.

É quase impossível entender o porquê os caras ficam todo tempo na defesa. Qual o motivo de ficar totalmente recuado.

Argel teve tempo pra trabalhar, mas só o que vimos foram bolas aéreas na grande área.

Convenhamos, ninguém imagina que este seria o pensamento ideal.

A derrota aconteceu por um pênalti bobo cometido por Dourado, que deixou a mão aberta e a bola bateu. E por um chute cruzado onde Muriel tocou pro lado e Marcos Rocha ficou sozinho pra fazer o 2 a 1.

O único gol colorado teve Anderson cobrando escanteio e Paulão fazendo o dele.



Fonte: http://jbfilhoreporter.final.com.br/




Com gols de Lisandro e Dourado, Inter vence o Sport por 2 a 1 no Beira-Rio

Colorado abriu o placar, chegou a ceder o empate, mas garantiu a vitória

Lisandro marcou o primeiro gol do Inter no Beira-RioFoto: Lauro Alves / Agência RBS

O Inter quer mesmo voltar à Libertadores. A vitória por 2 a 1 sobre o Sport, na noite deste sábado, no Beira-Rio, mostrou um time que não se abalou mesmo sofrendo um gol imerecido e que teve forças para vencer um jogo-chave para a reaproximação ao G-4. Além do gol da vitória, o primeiro da carreira de Rodrigo Dourado, Anderson foi um dos destaques da partida. O Brasileirão será interrompido até o 14, devido aos jogos das Eliminatórias Sul-Americanas. Chance para o Inter recuperar os lesionados. Na retomada do campeonato, o Inter enfrentará o Atlético-MG, no Independência.

Confira a tabela atualizada do Brasileirão


Pela primeira vez ingressando no Beira-Rio como adversário, Paulo Roberto Falcão foi aplaudido pela torcida colorada. O técnico do Sport recebeu os cumprimentos de Argel Fucks (seu jogador no Inter dos anos 90), mas se manteve na casamata da equipe visitante. Acenou discretamente para as arquibancadas. Com a bola rolando, o Sport de Falcão se mostrou mais agressivo que o Inter nos minutos iniciais. De azul, Diego Souza deixou Nilton com facilidade para trás e só não marcou porque Alisson se atirou a seus pés.

Relembre os lances da partida


A resposta do Inter chegou aos 11 minutos, quando Valdívia acertou um chute de fora da área, em curva, alto, e Danilo Fernandes fez uma grande defesa. Na cobrança de escanteio, Rodrigo Dourado cabeceou e Danilo defendeu com as pernas. O Inter buscava o gol, porém, o Sport se defendia bem, com nove jogadores atrás. Alex, em cobrança de falta, nas mãos de Danilo, e Lisandro, por cima, tentaram o 1 a 0, sem sucesso. Ora Lisandro, ora Anderson se juntava a Valdívia no ataque. Argel tentava surpreender o time de Falcão. Aos 29, quase que o atacante argentino conseguiu o gol. William cruzou rasteiro, a bola passou por todos os jogadores, até encontrar o carrinho de Lisandro. Mas a bola subiu demais, encontrou o travessão e insistiu em não entrar.

Anderson voltou a demonstrar que pode voltar a ser um grande jogador. Por pouco não marcou, ao concluir no cantinho direito, obrigando Danilo a outra defesa complicada. Em seguida, em um contra-ataque do Sport, Anderson foi visto jogando como volantão, à frente dos zagueiros. Um pouco mais além, Anderson driblou Renê e entregou a bola para Nilton marcar. O volante chutou para fora. O primeiro tempo chegou ao fim com um injusto 0 a 0. O Inter havia sido superior nos 45 minutos.

Além do vermelho e branco, as arquibancadas do Beira-Rio receberam um colorido especial, em rosa. Em apoio à campanha mundial Outubro Rosa, pela prevenção ao câncer de mama, o Inter distribuiu faixas cor de rosa para as suas torcedoras, que as exibiram com orgulho em meio ao jogo.

No segundo tempo, logo aos dois minutos, Lisandro desviou de cabeça um cruzamento de Ernando e Danilo de novo salvou o Sport. O time de Falcão e de Paulo Paixão, porém, começou a ser mais ousado e a deter mais o controle da bola — ainda que sem conseguir ser agressivo no ataque. Aos 10 minutos, Argel trocou Réver por Vitinho, transformando Ernando em zagueiro e Alex em lateral-esquerdo.

Aos 19 minutos, outra grande jogada de Anderson, que cruzou na pequena área, para Lisandro López se jogar contra a bola, de peito. Danilo defendeu e, no rebote, a bola ainda bate no rosto de Lisandro e entre. Os jogadores do Sport reclamaram mão de Lisandro. A arbitragem confirmou o gol — com o trio sendo auxiliado pelo quarto árbitro, Francisco Neto, que pareceu ter consultado o lance na TV, a fim de informar a Braulio da Silva Machado —, apesar da revolta pernambucana.

Mesmo com o 1 a 0, o Inter seguiu atacando. Aos 34 minutos, um duro castigo. Em contra-ataque, Diego Souza carregou a bola até a entrada da área e passou para Élber. A bola seria cortada por Alex, que estava no lance, mas o camisa 12 escorregou, permitindo que Élber entrasse cara a cara e finalizasse Alisson. Ao contrário do que ocorreu no Allianz Parque, dessa vez, foi o Inter quem marcou no minuto seguinte. Valdívia se livrou de três marcadores e cruzou para a área, onde Dourado entrou a passos largos, olhou para o gol, cabeceou e fez o 2 a 1. Foi o seu primeiro gol em 57 jogos como profissional. Um gol que manteve vivas as esperanças de G-4 para o Inter. Aos 45 minutos, Diego Souza foi expulso ao chutar Léo fora do campo.

Acompanhe o Inter no Brasileirão através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android


Fonte: *ZHESPORTES

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

3 a 2 Inter perde para o Palmeiras e é eliminado da Copa do Brasil


Time de Argel chegou a empatar a partida com gols de Anderson e Lisandro López, mas Andrei sacramentou a vitória da equipe de Marcelo Oliveira


Em um dos mais emocionantes jogos da temporada, o Inter foi eliminado da Copa do Brasil, ao perder por 3 a 2 para o Palmeiras. Desfalcada, a equipe de Argel Fucks entrou como zebra no Allianz Parque, mas, ao final, deu a lógica. Depois de estar perdendo por 2 a 0, o Inte empatou em 2 a 2, porém, perdeu o jogo e a vaga no minuto seguinte, em nova falha de sua defesa na bola aérea. Agora, resta o Brasileirão para o Inter e a desesperada tentativa de voltar à Libertadores. Caso contrário, uma vez mais, o Inter terá investido milhões em uma temporada cujo resultado final foi conquistar o Gauchão.

Palmeiras x Inter: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

Após um começo de jogo franco, com as duas equipes se arriscando no ataque, o Inter cedeu. Assim como ocorreu na partida do Beira-Rio, a bola aérea voltou a derrubar o time. Aos sete minutos, Zé Roberto cobrou o escanteio para a área, em direção ao zagueiro Vitor Hugo. O que se viu foi Nilton saltando em direção ao nada, Vitor Hugo cabeceando e, atrás dele, Réver dando as costas em vez de saltar para tentar impedir a conclusão. Deu tudo errado e Alisson não pôde evitar o gol.

Cotação ZH: Réver é o pior na derrota do Inter para o Palmeiras

O Inter precisava de um gol. Um gol ao menos para levar a decisão para os pênaltis. Mas o primeiro chute contra o gol de Fernando Prass foi desferido somente aos 22 minutos – com Rodrigo Dourado chutando de fora da área, por cima e sem perigo.
Com o apoio da torcida e tendo a partida sob controle, o Palmeiras trabalhava melhor a bola e tratava de se defender dos avanços desconectados do adversário. O Inter tentava atacar em lançamentos ou jogadas individuais. Mas nada que pudesse dar esperanças de uma virada épica ou mesmo de um simples empate que levasse a vaga para as penalidades.

Wianey Carlet: Inter cai, mas não se entrega

Mas o azar também parecia perseguir o time de Argel Fucks. Aos 34 minutos, Valdívia cobrou escanteio, Nilton surgiu em velocidade e cabeceou. A bola encontrou a trave e, no rebote, bateu na perna de Prass. O lance seguiu e Ernando chutou a gol, mas Amaral se atirou e cortou o rumo da bola.

Torcedor Colorado ZH: o Inter não perdeu a vaga em São Paulo

Quatro minutos depois, a eliminação em uma trapalhada. Lucas correu para a área e, antes de entrar, escorregou, caiu e levantou. Assim que o jogador do Palmeiras se reergueu, conseguiu ingressar na área e foi atropelado por Alex, que vinha atrás, escorregou e colocou o braço nas costas do lateral ao cair. Zé Roberto cobrou o pênalti e, dessa vez, Alisson não conseguiu defender.

"É uma classificação que nos tiraram", diz Piffero sobre arbitragem

Perdendo por 2 a 0 e sem alternativas na partida, a não ser se jogar ao ataque, o Inter tratou de avançar. Logo a um minuto, Rodrigo Dourado cabeceou para uma difícil defesa de Prass. Aos 11 minutos, enfim, Anderson se apresentou ao Inter. No meio-campo, deu um balãozinho no primeiro marcador, correu como uma bala rumo à área, passou por Jackson e, cara a cara com Prass, venceu o goleiro do Palmeiras. Um golaço – o seu primeiro pelo clube.

Apesar da derrota, Alisson elogia atuação do Inter: "Foi bom para calar a boca de muito babaca"

O Inter passou a acreditar na ressurreição em São Paulo. O Palmeiras, um tanto impactado com o 2 a 1, permitiu novas investidas coloradas. O 2 a 2 classificaria o Inter – depois do 1 a 1 de Porto Alegre. Aos 28, o Inter sentiu a vaga se aproximar. Alex cobrou falta para a área e Lisandro se atirou contra a bola para empurrá-la para as redes. Um pequeno milagre parecia surgir no Alianz Parque.

Mas a bola aérea na defesa colorada é um convite para o gol. Um minuto depois, Andrei Girotto cabeceou às costas de Dourado e fez o 3 a 2, devolvendo a vaga para o Palmeiras.


Foto: Ricardo Duarte/Divulgação/Internacional

Fonte: *ZHESPORTESicar
do Duarte/Divulgação/Internacional

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Com tabu, Palmeiras e Inter duelam por vaga na semi da Copa do Brasil

Paulistas não vencem o Colorado desde 2010. Em casa, Verdão joga por um 0 a 0 para se garantir na próxima fase do mata-mata da competição nacional


Arena alviverde deve estar novamente lotada para a decisão desta quarta-feira 
(Foto: Marcos Ribolli)
O tabu favorece os gaúchos, mas a vantagem é dos paulistas. Após o primeiro encontro ter ficado no empate em 1 a 1, em partida disputada em Porto Alegre (RS), na semana passada, Palmeiras e Internacional decidem na noite desta quarta-feira, às 22h, na arena alviverde, uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil.


O Verdão não sabe o que é vitória contra o Colorado desde de 2010. De lá para cá, foram seis triunfos dos gaúchos e três empates em nove confrontos. Mas, nesta quarta-feira, os paulistas, reforçados pelos retornos de Dudu, Arouca e Zé Roberto – o experiente jogador deve ficar no banco –, entram em campo com a vantagem de poder empatar sem gols para garantir a classificação.


– São outros jogadores, outros treinadores, muda muito. Cada jogo tem sua história. É procurar fazer nosso trabalho. Sabemos que existem zoações entre as torcidas, às vezes motiva, mas fica fora de campo. Dentro é outra história. São 90 minutos – disse o lateral-direito Lucas.


A partida em São Paulo ganhou contornos ainda mais decisivos para o Inter após a derrota para o Santos, no último domingo. Com as chances de G-4 minguantes, a equipe aposta suas fichas na Copa do Brasil como caminho mais curto para ir à Libertadores de 2016 e de quebra celebrar um título nacional após mais de 20 anos de jejum.


CONFIRA AS CHAVES DA COPA DO BRASIL


Prova disso é a mudança da estratégia de Argel, que faz mistério sobre o time pela primeira vez. O Colorado precisa ir ao ataque após o 1 a 1 do jogo da ida, mas com parcimônia. Irá a campo disposto a tentar surpreender o Palmeiras e aproveitar raras chances nos contra-ataques.


Wilton Pereira Sampaio (GO) será o árbitro, auxiliado pelo Fabrício Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence, ambos de Goiás. A partida será transmitida pela TV Globo para SP, RS, PR (menos Curitiba), MG (Uberlândia e Ituiutaba), GO, TO, BA, RN, PA (menos Santarém) e MA (com Cleber Machado, Casagrande, Caio Ribeiro e Leonardo Gaciba) e pelo SporTV. O GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real, com vídeos.




Palmeiras: o técnico Marcelo Oliveira ganhou reforços importantes para o duelo decisivo contra o Inter. Desfalques no domingo, Arouca, Zé Roberto e Dudu estão de volta ao Verdão. A única baixa será o volante Thiago Santos. Assim, o Palmeiras deve entrar em campo com: Fernando Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Egídio; Amaral e Arouca; Dudu, Robinho e Gabriel Jesus; Barrios.


Internacional: sem Vitinho, suspenso, Argel conta com o retorno de Lisandro para formar dupla de ataque com Valdívia. Poupados na derrota para o Santos, Réver e Alex devem voltar ao time, definido com mistério pelo treinador em treino com portões fechados no Beira-Rio. A provável escalação tem: Alisson; William, Paulão, Réver e Ernando; Rodrigo Dourado, Wellington, Nilton e Alex; Lisandro López e Valdívia.




Palmeiras: Alecsandro, Thiago Santos, Leandro Almeida (já atuaram na Copa do Brasil), Cleiton Xavier (em fase de recondicionamento físico após lesão na panturrilha) e Gabriel (lesão no joelho esquerdo).


Internacional: Vitinho está suspenso após receber o terceiro amarelo no jogo de ida. D'Alessandro, com hérnia de disco na região lombar não tem previsão de volta. Eduardo Sasha passou por cirurgia no tornozelo direito e fica fora por pelo menos seis semanas. Recuperados de lesões, Nico Freitas e Zé Mário já iniciaram o retreinamento físico, mas seguem fora. Geferson realizou procedimento cirúrgico no ombro e só voltará aos gramados em 2016.




Palmeiras: Zé Roberto.


Internacional: Sem pendurados.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/sp/futebol/copa-do-brasil

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Copa do Brasil: vai começar a luta pela vaga na semifinal

Começa nesta quarta-feira, a partir das 19h30h, a luta por uma vaga à semifinal da Copa do Brasil. Internacional e Palmeiras medem forças no Beira-Rio na primeira partida das quartas de final do torneio - o jogo de volta, no Allianz Parque, em São Paulo, ocorre na próxima semana.

O Gigante vai rugir mais uma vez em 2015! Juntos, time e torcida SERÃO UM SÓ!
Mas ocê não vai poder vir? Então acompanhe tudo em tempo real pelas redes sociais do Clube -> Twitter, Facebook e Instagram.

> Ingressos seguem à venda

O duelo promete ser complicado, já que o Colorado terá desfalques diante de uma qualificada equipe. D'Alessandro e Eduardo Sasha, lesionados, estão fora do confronto. Lisandro López, com dores musculares, e Rafael Moura, com o pé machucado, foram vetados pelo departamento médico. Em meio às baixas, a boa notícia é que Vitinho e Valdívia treinaram normalmente e vão a campo contra os paulistas. Nilton, que não havia atuado contra o Figueirense em virtude de suspensão, também retoma a titularidade.

Em se tratando de um torneio mata-mata que nem a Copa do Brasil, não sofrer gols em casa é fundamental para se encaminhar a classificação. Portanto, o técnico Argel tratou de armar um time com a marcação reforçada no meio-campo. O treino realizado na véspera da partida, no CT do Parque Gigante, indicou a seguinte escalação: Alisson; William, Paulão, Réver e Ernando; Rodrigo Dourado, Nilton, Wellington e Alex ; Vitinho e Valdívia.

“A eliminatória é de 180 minutos e temos que fazer o dever de casa, que é vencer o jogo. Isso é a primeira coisa. A segunda é não sofrer gol. Esse sistema (com três volantes) é muito seguro. Começamos o jogo do Corinthians assim e começamos muito bem. Fizemos um primeiro tempo muito bom nesse sistema depois tivemos que trocar", avalia o técnico Argel. Entre os relacionados, a novidade é o atacante Bruno Baio, 19 anos, oriundo da base do Clube.

Adversário

O Palmeiras desembarcou em Porto Alegre praticamente com sua força máxima. Apenas o volante Thiago Santos, o zagueiro Leandro Almeida e o atacante Alecsandro não podem atuar por já ter defendido outras equipes na competição. Assim, o técnico Marcelo Oliveira deve colocar em campo a seguinte formação: Fernando Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Egídio; Amaral e Arouca; Dudu, Robinho e Gabriel Jesus; Lucas Barrios.




Fonte: Site Oficial do INTER

Brasileirão 2015: Últimos Resultados e Próximo Desafio


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Em noite inspirada, Inter goleia o Vasco por 6 a 0 no Beira-Rio


Ernando, Sasha, Lisandro López (duas vezes), Valdívia e Nilton marcaram para o time de Argel

Foto: Lauro Alves / Agencia RBS
Com uma vitória por 6 a 0 sobre o Vasco, no Beira-Rio, o Inter volta a vislumbrar o G-4 do Brasileirão. Essa foi a primeira goleada do Inter no campeonato. Ao abatido Vasco resta um doloroso retorno à Série B. No sábado, o Inter enfrentará o São Paulo, no Morumbi.

Confira a tabela de classificação do Brasileirão

O Inter precisou de 10 minutos para começar a bater o Vasco e impor ao clube carioca a sua 15ª derrota em 22 partidas no Brasileirão. Após alguns minutos de jogadas desconectadas, um lance de bola parada – treinado com insistência por Argel nos últimos dias –, fez o Inter sair na frente. Alex cobrou uma falta lateral para a área, onde Ernando saltou sozinho, se antecipando ao goleiro Jordi e desviou para o gol.

Cotação ZH: Sasha e Valdívia estão entre os melhores na goleada do Inter sobre o Vasco

Apesar do 1 a 0 e do desespero vascaíno, o Inter não passou a pressionar, como era esperado. Optou por um jogo mais cadenciado, saindo em contra-ataques. O Vasco avançava através de chuveirinhos para a área, com cruzamentos de Nenê, e na tentativa de velocidade de Jorge Henrique – o mais vaiado pelas arquibancadas. Formado por jogadores veteranos, como Rodrigo (ex-dupla Gre-Nal), Andrezinho, Guiñazu, Jorge Henrique (todos ex-Inter) e Julio de los Santos (ex-Grêmio), e o principal candidato ao rebaixamento, o Vasco ainda tinha forças para atacar o Inter com algum perigo. Muriel precisou fazer duas boas defesas no primeiro tempo.

Inter x Vasco: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

Lentidão à parte, aos 39 minutos, uma grande jogada e um golaço. Alex perdeu a bola na lateral direita da área, mas Valdívia a recuperou. Passou entre três marcadores e encontrou Dourado, que passou para Vitinho, que encontrou Sasha ingressando na área e desviando de Jordi. Depois de colocar toda a defesa vascaína na roda, o Inter fez o quase definitivo 2 a 0.

– Queríamos voltar a fazer gol no começo do jogo, como em partidas anteriores. Conseguimos. Agora, é marcar bem e ampliar – disse Ernando, no intervalo.

No segundo tempo, com Lisandro no lugar de Vitinho (que recebeu o terceiro cartão amarelo e não enfrentará o São Paulo), o Inter voltou mais acelerado. Aos oito minutos, em nova jogada coletiva, Alex cruzou para Lisandro López que, mesmo às costas de Luan, ganhou a frente do zagueiro e bateu forte para o gol.

"Deixamos o jogo fácil", avalia Valdívia sobre goleada diante do Vasco


A goleada foi ampliada quatro minutos depois. Valdívia recebeu na entrada da área, bateu forte e encobriu o goleiro Jordi. Um golaço. Farejando a fragilidade vascaína, o Inter seguiu como um leão no ataque. Aos 17, William cruzou na área e Nilton bateu de primeira. Um golaço e uma goleada por 5 a 0. Já nos acréscimos, Lisandro López aumentou após cruzamento de Anderson: 6 a 0.

Luiz Zini Pires: maior goleada do Brasileirão reanima o Inter

Com esses seis gols, o Inter se aproximou do total de gols marcados pelo Vasco no Brasileirão: oito. Mesmo com o grande resultado, um placar que o Inter ainda não havia construído no Campeonato Brasileiro, a torcida teve respeito à queda de um dos grandes do país e não gritou "olé".

Diogo Olivier: com ressurreição física, Inter amassa o Vasco

A goleada serviu para apagar a péssima imagem do final de semana em Florianópolis, contra o Avaí, melhorar o saldo de gols colorado, e recuperar a autoestima da equipe de Argel.

VÍDEO: Gabiru assiste à goleada do Inter e elogia novo Beira-Rio: "Está muito bonito"


Acompanhe o Inter no Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android


Fonte: *ZHESPORTES

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Com dois gols de Léo Gamalho, Inter é goleado pelo Avaí na Ressacada

Após cinco partidas, é a primeira derrota do time sob o comando de Argel


Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

No meio do caminho havia Léo Gamalho. Com dois gols do ex-atacante colorado e um já nos acréscimos de Camacho, o Inter perdeu para o Avaí no Estádio da Ressacada, neste domingo por 3 a 0. O time de Argel teve lampejos de controle da partida, mas sucumbiu a partir da desorganização defensiva e de uma má jornada do zagueiro Paulão e do lateral Geferson: são 24 gols sofridos em 21 jogos no Brasileirão. O Inter segue em 10º na tabela, mas pode cair duas posições até o fim da rodada.

"Os dois árbitros foram horríveis", rebate Argel sobre polêmica dos pênaltis

Os primeiros 15 minutos do Inter foram em alta velocidade na Ressacada. Com a linha de ataque avançada, o time de Argel pressionava a saída de bola do Avaí e conseguia manter a bola longe do campo defensivo. Em mais de uma oportunidade ou Sasha ou Vitinho ou Valdívia tomaram a bola dos zagueiros e volantes catarinenses. Nilton e D'Alessandro completavam a pressão na intermediária. As chances de gol passaram a aparecer.

Diogo Olivier: um duro golpe na confiança do Inter de Argel

Logo aos sete minutos, Eduardo Sasha poderia ter aberto o placar. O camisa 9 dominou uma cruzamento da esquerda. Atrasado no lance, o defensor, com as duas mãos, empurrou o atacante do Inter. Próximo ao lance, o árbitro Péricles Bassols nada marcou. A intensidade do Inter durou mais 10 minutos. E Sasha e D'Alessandro quase marcaram em chutes pela esquerda.

Tabela do Brasileirão

A partir dos 20 minutos, o Inter passou a correr riscos, em contragolpes, principalmente pela esquerda. O Avaí teve duas chances claras de gol com Léo Gamalho. Aos 24, o atacante recebeu na entrada da grande área, deu um drible seco em Paulão e chutou forte. Alisson, que se apresenta à Seleção Brasileira e desfalca o Inter contra Vasco, São Paulo e Palmeiras, fez ótima defesa. Cinco minutos depois, Gamalho se esticou todo para alcançar um cruzamento e assustar o goleiro colorado. A bola ainda tocou na trave antes de sair pela linha de fundo. Mas foi aos 39 que a defesa colorada protagonizou um lance de time juvenil. Paulão saiu no combate, a jogada estava controlada. Geferson, na cobertura, fez a parede para que Alisson ficasse com a bola.

Cotação ZH: Geferson é o pior em campo contra o Avaí

Os dois jogadores do Inter se atrapalharam e a bola ficou com adversário, com o gol aberto. A sorte do Inter é que Ernando tocou para escanteio.

Argel melhorou o meio de campo do Inter no segundo tempo. Nilton deixou o campo para a entrada de Wellington Martins. Em linha com Rodrigo Dourado, fecharam a porta das jogadas do Avaí pelo setor. Ao menos nos primeiros 15 minutos, o Avaí sequer assustou a defesa gaúcha. A derrota do Inter veio em um pênalti mal marcado pelo árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima, que teve de substituir Péricles Bassols, lesionado na panturrilha. Paulão e Léo Gamalho se enroscaram na pequena área, os dois jogadores caíram. Pelo entendimento do gaúcho, falta. Os jogadores do Inter partiram para cima de Jean Pierre, contestando o lance. Léo Gamalho, com tranquilidade, deslocou Alisson e abriu o marcador.

Após o gol, Argel mandou o Inter para o ataque. Rafael Moura substituiu Valdívia e Anderson estreou sob o comando do treinador na vaga de William. A dupla nem teve tempo para buscar uma recuperação em Florianópolis. Mais uma vez, Léo Gamalho marcou na Ressacada. Aos 38 minutos, Vitinho cobrou uma falta, Vagner defendeu e ligou um contra-ataque. Com o Inter desorganizado defensivamente, Gamalho recebeu livre no meio da área e apenas deslocou Alisson. Camacho, aos 48, em mais um contra-ataque, sacramentou a primeira derrota de Argel, após quatro jogos de invencilidade – dois pela Copa do Brasil e dois pelo Brasileirão.

E o Inter segue mais do mesmo: não vence fora de casa desde a partida contra o Joinville, em 12 de julho.


Acompanhe o Inter através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android

Fonte: * ZHESPORTES

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Inter vence Ituano por 2 a 1 e está nas quartas de final da Copa do Brasil

Sorteio para definir o próximo adversário do time de Argel será na segunda, às 12h30min


Foto: MARCOS BEZERRA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Com a vitória por 2 a 1 sobre o Ituano (4 a 1 no placar agregado), o Inter cumpriu a sua primeira etapa na Copa do Brasil e se classificou às quartas de final. Na segunda-feira, às 12h30min, a CBF promoverá o sorteio para os cruzamentos da próxima fase do torneio. Agora, o Inter enfrentará um destes adversários: Vasco, Figueirense, Palmeiras, São Paulo, Santos, Fluminense e Grêmio ou Coritiba. As datas previstas para as quartas de final são 23 e 30 de setembro.

D'Alessandro comemora vitória e provoca Grêmio: "A história é muito mais rica aqui do que no outro lado"

Ainda que o Ituano precisasse tirar uma desvantagem de 2 a 0, do jogo do Beira-Rio, foi o Inter quem tratou de ir ao ataque nos primeiros minutos. No primeiro ataque, D'Alessandro e Clayson trocaram tapas. O lance, apesar de não ter tido nenhuma consequência além de uma reprimenda do árbitro, marcou a partida do argentino, que se desconcentrou e tratou de buscar o revide.

Cotação ZH: Sasha e Valdívia estão entre os melhores do Inter na vitória sobre o Ituano

Com a bola rolando de novo, logo aos cinco minutos, Vitinho atacou de ponteiro esquerdo. Das antigas. Cruzou para a área, onde Valdívia entrou entre os zagueiros e cabeceou sem chances para o goleiro Fábio – e marcou o seu 15º gol na temporada. O 1 a 0 ampliava a vantagem colorada e colocava o Inter cada vez mais nas quartas de final.

Estudo aponta Grêmio com lucro de R$ 42 milhões e Inter com déficit de R$ 3 milhões ao final do ano

O placar agregado de 3 a 0 para o Inter fez com que o Ituano tentasse a reação e que a equipe de Argel tentasse administrar a partida. O Inter tocava a bola e buscava algum contra-ataque, enquanto o tempo passava.

"Não tem vaidade, todo mundo está correndo", afirma Sasha sobre Inter de Argel

A partir dos 20 minutos, sem conseguir grandes conclusões ao gol de Alisson, o Ituano passou a jogar com maior virilidade. As faltas se sucederam e Vitinho passou a ser o principal alvo das caneladas. Ao ponto de Argel chegar a pedir ao técnico Tarcísio Pugliese para que acalmasse os seus jogadores. Apesar da vontade, o Ituano não reunia qualidade técnica suficiente para acossar o gol de Alisson. O primeiro tempo se arrastou para o final com o Inter administrando o resultado e a vaga na Copa do Brasil.

– Eu sabia que o Vitinho iria cruzar. Então corri para o cabeceio – disse Valdívia, ao comentar o gol.

No segundo tempo, com Alex no lugar de D'Alessandro – para evitar um cartão amarelo ou até mesmo a expulsão do camisa 10, por algum revide –, o Inter se manteve firme na defesa e seguiu buscando um contra-ataque que definiria de vez o mata-mata.

Ituano x Inter: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

A partir dos 21 minutos, o Ituano tentou reagir. Em cobrança de escanteio, a zaga falhou, Ernando e Alisson permitiram que Ronaldo cabeceasse na pequena área para empatar a partida – desde a derrota no Gre-Nal da Arena, em 9 de agosto, o Inter não sofria gol.

O 1 a 1 renovou as esperanças dos paulistas, que partiram em busca da virada. Isso até os 29 minutos, quando o Inter resolveu sair do jogo nível "amistoso" e voltar à competição. Rodrigo Dourado encontrou Sasha, que recebeu na entrada da área, se livrou de dois marcadores e bateu com categoria, no canto esquerdo: Inter 2 a 1.
O jogo se encaminhava para o final, sem grandes riscos ao placar, quando Rodrigo Dourado torceu o tornozelo direito. Voltou a campo mancando e deverá ser reavaliado nesta sexta-feira. Afora o susto de Dourado, a vaga do Inter chegou sem grandes problemas no interior paulista.

Com lesão no pé direito, Lisandro López desfalca Inter contra Ituano e Avaí

Acompanhe o Inter no Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android


Fonte: *ZHESPORTES

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Em atuação segura, Inter vence o Atlético-PR por 2 a 0 no Beira-Rio

Valdívia e Paulão fizeram os gols da vitória colorada
Valdívia abriu o placar no início do jogoFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Com uma atuação convincente no Beira-Rio, o Inter bateu o Atlético-PR por 2 a 0, subiu para a 10ª colocação no Campeonato Brasileiro e está a cinco pontos do G-4. O 2 a 0 acabou sendo um placar injusto, pois, pela produção e chances de gol que desperdiçou, o Inter poderia ter goleado os paranaenses. Com Argel Fucks no comando da equipe, já são duas vitórias e um empate. Com o público desse domingo, o Inter passou a marca dos 700 mil torcedores nas suas 27 partidas da temporada em casa.

Confira a tabela do Brasileirão
O Inter de Argel não quis saber se o jogo estava começando, se as peças ainda estavam se encontrando em campo ou não. Partiu para cima e fez o 1 a 0 logo aos três minutos. Foi assim: D’Alessandro recebeu uma falta no meio-campo. Assim que se reergueu, enxergou Valdívia na área com apenas um marcador. E lançou no pé do cabeludo da camisa 29. Valdívia cortou para dentro e bateu, vencendo Weverton.

Relembre os lances da partida


A partir do 1 a 0, surgiu no Beira-Rio um Inter enérgico e veloz, como poucas vezes foi visto na temporada. Léo, Vitinho, Sasha e Valdívia faziam um rodízio de passes e de ataques sobre a defesa paranaense. Em nove minutos, além do gol, o Inter já tinha dois chutes para difíceis defesas de Weverton, um de Vitinho, outro de Valdívia.

Inter x Atlético-PR: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

Mas havia uma dúvida no ar do Beira-Rio: o Inter conseguiria manter a intensidade? A pressão dos primeiros minutos até que foi reduzida, mas a movimentação e a troca de passes do Inter era tão melhor que a do Atlético, que o controle do jogo seguiu com o time de Argel Fucks — esse, desistiu do glamour do terno grafite logo após o gol de Valdívia e passou a jogar com a equipe, na área técnica.

Torcedor Colorado ZH: "O melhor está por vir"

Se no primeiro turno o Atlético-PR recebeu um Inter misto e se aproveitou disso para golear, dessa vez, foram os paranaenses que preservaram alguns jogadores, pensando na Copa Sul-Americana. Walter e Marcos Guilherme, as referências técnicas da equipe, ficaram no banco.

O Inter buscava o segundo gol, que emprestaria mais justiça ao placar, mas um ressabiado Atlético-PR tratou de se proteger mais. Aos 41, a primeira defesa de Alisson, em chute rasteiro e de fora da área de Bruno Mota.

Na segunda etapa, Milton Mendes colocou o veloz Marcos Guilherme em cima de Geferson. Ernando trocou de lado para auxiliar na contenção. O Inter seguiu melhor no jogo e, aos cinco minutos, Vitinho invadiu a área e foi derrubado. Pênalti. D’Alessandro, ansioso para marcar e homenagear o filho recém-nascido, Gonzalo, cobrou e Weverton defendeu no canto direito.

D’Alessandro murchou ao perder o pênalti — o seu terceiro em 2015. E o Atlético-PR tentou crescer. Ato contínuo, Walter foi a campo, no lugar do lateral Bruno Pereirinha. Com a mudança paranaense, o Inter passou por alguns momentos de instabilidade.

Ainda assim, com uma defesa bem posicionada, conseguiu evitar maiores riscos e seguiu buscando o segundo gol. Vitinho, aos 17, por pouco não ampliou, bem como Léo, que teve uma boa chance na sequência. Para completar, Sasha acertou um chutaço. Na trave.

O destino estava sendo cruel com o Inter. A pressão pelo placar de apenas 1 a 0 chegou ao fim aos 24 minutos. D’Alessandro cobrou escanteio, Dourado desviou de cabeça e Paulão, inspirado em Juan, surgiu às costas da zaga e desviou do goleiro.
O 2 a 0 parecia consolidado. Com Alex em campo, o Inter seguiu tendo o controle do meio-campo e dos contra-ataques, além de quase não correu riscos na defesa. Ao final, Walter ainda tentou descontar, mas Alisson defendeu. Com Argel, o Inter parece estar encontrando o seu lugar no mundo uma vez mais. 


Acompanhe o Inter no Brasileirão através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android


Fonte: *ZHESPORTES

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Na estreia de Argel no Beira-Rio, Inter faz 2 a 0 no Ituano


Jogo de volta será no dia 27, em Itu, e time de D'Alessandro poderá até perder por um gol ou por dois gols de diferença, desde que a partir do 3 a 1


Foto: Félix Zucco / Agencia RBS


Com uma vitória por 2 a 0 sobre o Ituano, no retorno de Argel Fucks ao Beira-Rio, o Inter abriu uma boa vantagem rumo às quartas de final da Copa do Brasil. Para seguir adiante no torneio, a equipe poderá até perder por um gol ou por dois gols de diferença, desde que a partir do 3 a 1, no dia 27, no jogo de volta, em Itu.

Wianey Carlet: com Argel, Inter está mais equilibrado, veloz e pegador

Na primeira partida de Argel diante dos torcedores colorados e contando com o retorno de D'Alessandro, um time como nos melhores momentos da Libertadores foi visto em campo. Com D'Alessandro e Sasha como armadores, abastecendo os atacantes Valdívia e Vitinho, o Inter avançava. O domínio territorial era colorado.


Luiz Zini Pires: com Argel, Inter ganha fôlego na Copa do Brasil

E o primeiro gol do Inter de Argel Fucks saiu dos pés de uma de suas apostas: Vitinho. Renegado por Diego Aguirre, o atacante voltou a jogar com alegria. Aos 14 minutos, Rodrigo Dourado correu pela intermediária de ataque até ser derrubado. Ao se embolar com o seu marcador, Dourado derrubou também o árbitro Elmo Alves Resende da Cunha. Ainda assim, a bola chegou a Vitinho, que bateu de longe, ela ainda desviou em um defensor, subiu e entrou no ângulo. Um golaço.

O que o Inter precisa para eliminar o Ituano na Copa do Brasil

O 1 a 0 recompensou o novo bom futebol do Inter. Mas a diferença do Inter para o Ituano (que não figura em nenhuma das quatro séries nacionais) era grande. E se concretizou na triangulação Sasha-Vitinho-Valdívia. Sasha passou para Vitinho, que encontrou Valdívia invadindo a área, recebendo e deslocando do goleiro Fábio.


Cotação ZH: Vitinho é o melhor em campo do Inter contra o Ituano

Com o 2 a 0 e um futebol superior, a vaga às quartas de final da Copa do Brasil já parecia se encaminhar. Mas o novo Inter de Argel seguia no ataque. Assim que Vitinho cometeu uma falta dura em Claudinho, um susto: recebeu cartão vermelho. O atrapalhado árbitro havia confundido o atacante com o lateral Geferson – que já tinha cartão. Reconhecendo a mancada, trocou os cartões, aplicou o amarelo, sorriu e levou uma vaia do tamanho do Beira-Rio. Na sequência, Vitinho fez fila na defesa do Ituano e foi derrubado. Elmo da Cunha, porém, não marcou o pênalti.

Inter x Ituano: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

A partir dos 30 minutos, o Inter retomou um antigo vício: deixar de ser incisivo e permitir os avanços do adversário. O Ituano, porém, não teve condições de aproveitar esses espaços e não chegou a ameaçar o gol de Alisson.

– O espírito tem que ser esse: abafar quem vier jogar aqui – discursou Nilton, no intervalo.

Diogo Olivier: Inter vence jogando bem e fecha três jogos sem levar gol

Logo no primeiro lance do segundo tempo, Dick bateu cruzado e Alisson mandou para escanteio. Os paulistas buscavam ao menos um gol para seguir sonhando com a vaga. E, assim, deram o contra-ataque para o Inter. No primeiro deles, Sasha lançou Valdívia, que bateu com violência no travessão.


Dirigente do Inter indica que Argel pode perder jogadores
Com um meio campo interessado e marcador, o Inter manteve a pressão e passou a perder chances de gol, com Vitinho, com Sasha e com Valdívia. Com o ingresso de Lisandro, no lugar do já desgastado Valdívia, a equipe se manteve firme na busca pelo terceiro gol. Aos 33, Vitinho bateu em curva e a bola passou ao lado da trave. Apesar do esforço colorado, o Ituano conseguiu evitar uma goleada. Com o 2 a 0, ao final, Argel e o seu novo Inter saíram do Beira-Rio sob merecidos aplausos.

Nilton exalta novo estilo de trabalho de Argel: "Não dá pra ficar tratando com muito carinho"


Acompanhe o Inter no Brasileirão através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android

Fonte: *ZHESPORTES

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Na estreia de Argel, Inter empata em 0 a 0 contra o Cruzeiro no Mineirão


Colorados voltam a campo na quinta-feira, pela Copa do Brasil


Foto: Thomas Santos, Lancepress

O Inter tem uma nova cara. Ficou no 0 a 0 com o Cruzeiro na tarde deste domingo, no Mineirão, mas mostra um pouco do estilo sanguíneo de Argel, que fez a sua estreia à frente do time. Com destaque para atuação de Vitinho, que acabou saindo com cãibras no segundo tempo, o Inter foi a campo com três volantes e segurou o time de Vanderlei Luxemburgo, que entrou para a 19ª rodada pressionado pela derrota por 3 a 0 para o Joinville. O Inter volta a campo na quinta-feira, pela Copa do Brasil. Recebe o Ituano, pelas oitavas, às 19h no Beira-Rio.

Confira a tabela do Brasileirão

Um Inter disposto em um 4-3-3, com Valdívia retornando à linha de três volantes para buscar a bola, foi a campo no Mineirão. Ainda que com poucas chances para os dois times, o Inter de Argel já tem uma cara. A intensidade da marcação desde o primeiro minuto de jogo no Mineirão fez com que o time de Vanderlei Luxemburgo fosse para o vestiário vaiado. A melhor chance veio pelos pés de Vitinho, aos 15 da primeira etapa. Sasha avançou pela esquerda, deixou dois marcadores para trás e acionou Vitinho, que chutou firme para gol. Fábio fez grande defesa, mandando pela linha de fundo.

Cruzeiro x Inter: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

O Cruzeiro respondeu aos 21 minutos, com um chute de Charles da intermediária. O desvio fez com que a bola batesse nas mãos do goleiro Alisson de forma desajeitada e raspasse a trave colorada. A pressão passou ser toda do time da casa, que ainda teve outra chance aos 24, com um chute rasteiro de Mayke.

Argel, à beira do campo, gesticulava a todo instante. Com as investidas de Mena pela esquerda e a pressão toda em cima do lateral William, o técnico, a toda instante, passava orientações ao jogador. Chegou a abraça-lo em uma oportunidade com a bola rolando.

Cotação ZH: Nilton é o melhor em campo contra o Cruzeiro

O Inter não conseguiu manter a intensidade de marcação combinado aos contra-ataques no segundo tempo. O Cruzeiro cresceu no jogo, mas como não conseguia penetrar no campo colorada, buscava chutes da intermediária. Aos nove minutos, o time mineiro esteve bem próximo de abrir o placar. Vinícius Araújo viu Alisson adiantado e mandou para o gol. O goleiro e capitão do Inter deu um passo para trás, conseguiu evitar que a bola entrasse. Chegou a chocar-se com a trave.

Argel tentou ainda colocar o Inter para o ataque, trocando Valdívia por Rafael Moura. Mas menos de três minutos após a entrada de He-Man, viu Vitinho, por quem passou as melhores chances do Inter no Mineirão, sentiu cãibras e precisou sair.

Direto de BH: os três dias de Argel à frente do Inter

As trocas fizeram com que o Inter perdesse qualidade no ataque, e os laterais passaram a subir com mais frequência. Aos 22, William fez um cruzamento magistral para Taiberson, dentro da área, chutar para o gol, o que não aconteceu.

O Inter volta a campo na quinta-feira, pela Copa do Brasil. Enfrenta, pelas oitavas de final, o Ituano às 19h no Beira-Rio.

Acompanhe o Inter através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS
Android

Fonte: *ZHESPORTES

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Com gol de Vitinho, Inter vence o Fluminense e alivia pressão


Sob o comando do técnico interino, Odair Hellmann, centroavante entrou no segundo tempo e marcou aos 37 minutos
Foto: Félix Zucco/Agência RBS

Mesmo com desfalques e ainda sob o impacto da goleada no Gre-Nal, o Inter se recuperou e bateu o Fluminense de Ronaldinho por 1 a 0, no Beira-Rio. Mesmo com a vitória da equipe comandada pelo interino Odair Hellmann, um novo treinador deverá ser contratado nas próximas horas. Nesta quinta-feira, o Inter poderá anunciar Argel Fucks, técnico do Figueirense, que nessa quarta perdeu em casa para o São Paulo. Ele já comandaria o time no domingo, no Mineirão, contra o Cruzeiro. Sem Alex, Lisandro, Wellington Martins, suspensos.

Confira a tabela completa do Brasileirão

A noite começou com protestos. Da torcida, pela goleada sofrida no Gre-Nal e pelos recentes maus resultados, além da falta de técnico. E protesto dos árbitros. Contra a presidente Dilma Rousseff, que indeferiu o pedido da categoria de receber 0,5% das rendas dos jogos de futebol. Ao contrário de outras partidas, na do Beira-Rio, a placa levantada pela arbitragem não foi a que mostrava o número 0 e o número 5, pois pareceria ironia devido ao resultado da Arena. Foi mostrado o número 671, referente à Medida Provisória vetada.

Novo técnico encontrará um vestiário em ebulição no Inter

Com a bola rolando, os primeiros minutos foram de pressão. Do Fluminense. Com três chegadas perigosas em oito minutos. O Inter conseguiu equilibrar as ações a partir dos 20. Um lance emblemático foi quando Ronaldinho cometeu falta em Nico Freitas, que puxava um contra-ataque. Sem grande inspiração e com pouca articulação no meio-campo, o Inter teve dificuldades para chegar à frente. A melhor conclusão colorada no primeiro tempo foi um chute de Nilton, de fora da área, defendido no chão por Cavalieri.
Valdívia, antes a principal jogada de velocidade da equipe de Diego Aguirre, pouco fez no ataque. Apenas uma jogada individual e que resultou em falta do zagueiro Henrique.

Torcedor Colorado ZH: "90% de chance de fechar com o Inter", diz irmão de Argel

Para a sorte de Odair Hellmann, um preguiçoso Fluminense desperdiçou os muitos passes errados do meio-campo e da defesa colorada. Ainda assim, Juan se destacou na zaga, salvando pelo menos três situações de gol dos cariocas. Ronaldinho, paradão em campo, teve uma chance, em cobrança de falta. Como no Mundial de Yokohama, quando vestia a camisa do Barcelona. Mas bateu mal, por cima. E a torcida se mostrou paciente. Não vaiou o fraco primeiro tempo do Inter.

Cotação ZH: Vitinho é o destaque do Inter na vitória sobre o Fluminense

Na segunda etapa, o Inter voltou mais consistente e, aos seis minutos, ganhou de presente a expulsão de Marcos Júnior. O atacante chutou William sem bola e recebeu o cartão vermelho. Com um a mais em campo, logo no lance seguinte, Valdívia chutou de fora da área e Cavalieri fez uma grande defesa. Na sequência, Alex cruzou na área, Valdívia desviou de cabeça, Juan também deu uma casquinha na bola, mas Cavalieri conseguiu pegar. Aos 12, Alex só não foi expulso por erro da arbitragem, depois de se jogar com os dois pés contra Pierre.

Inter x Fluminense: estatísticas, renda e público, saiba como foi a partida

Na tentativa de ganhar a partida, Odair mandou a campo Lisandro e Vitinho. O Fluminense começava a ceder generosos espaços para o Inter. E depois Rafael Moura. Dessa vez, a sorte sorriu para os colorados. Aos 37, Viitnho fez boa jogada e passou para Moura, que foi travado por Marlon. No rebote, Vitinho chutou. A bola não iria a gol, mas bateu no peito de Cavalieri e entrou.

Apesar de apenas 1 a 0, ele teve a força de uma goleada e serviu para aliviar um pouco a pressão sobre o Beira-Rio.

Fonte: *ZH ESPORTES